SOS Pesquisa e Rorschach - Guenia Bunchaft

fechar
 Nome: 
 Email: 
  

 

Estatisticas

    A Estatística consiste na descrição numérica dos fatos tal como eles são encontrados.

    Subdivide-se em Estatística Descritiva e Inferencial.

    O que é Estatística Descritiva?
    É a organização, apresentação e resumo dos atributos dos fenômenos estudados.

    O que é a Estatística Inferencial?
    É o ramo da Estatística que visa generalizar o que é estudado descritivamente em conjuntos denominados amostras para conjuntos mais amplos chamados populações.

    Porque não trabalhar com populações, mas com amostras?
    Geralmente, o objetivo do pesquisador é tirar conclusões acerca das características de uma população, que é muito grande, podendo até ser infinita. Mas, como ter acesso a todos os seus elementos seria um trabalho longo, oneroso, exaustivo e, quase certamente, impreciso, valemo-nos do estudo de uma parte dessa população, que é denominada amostra.

    E, afinal, para que serve a Estatística?
    1) Primeiro, ela permite que o pesquisador obtenha informações confiáveis sobre o assunto estudado, realizando a análise estatística dos dados (Estatística Descritiva);
    2) Em segundo lugar, cria condições de generalizar para a população em geral os resultados obtidos com o grupo estudado (Estatística Inferencial).

    Por exemplo:
    Digamos que queremos investigar até que ponto a autoestima da mulher e a maneira pela qual ela se vê influem em sua sexualidade. Evidentemente, queremos estabelecer conclusões gerais sobre o tema (população), mas não temos acesso a todas as mulheres para poder estudar esses aspectos.

    O que fazer então?
    Podemos selecionar um grupo (amostra) de mulheres, em um número que consideramos razoável e aplicar nelas instrumentos que avaliem esses aspectos. A análise estatística nos permite descrever esse grupo em particular mas, para descrever esses aspectos da sexualidade da mulher em geral teremos que nos utilizar dos recursos da Estatística Inferencial.